Senioridade de cargos: como funciona?

A senioridade de cargos indica o nível de experiência que um candidato/colaborador deve ter. Entenda, aqui, como esse nivelamento funciona.

Ao criar uma engenharia de cargo, é possível definir qual será a sua senioridade: júnior, pleno, sênior, especialista ou principal. Cada uma delas indica algo diferente. Observe abaixo:
senioridade.gif

ESTAGIÁRIO

É uma senioridade que, geralmente, é ocupada por pessoas ainda em formação acadêmica, que procuram se inserir no mercado de trabalho. Esse cargo geralmente possui uma carga horária menor.

JÚNIOR
É a senioridade mais básica dentre as opções. Normalmente, o profissional de senioridade júnior possui uma experiência mais básica no cargo e essa pode ser, muitas vezes, a primeira experiência dele em algo similar ao cargo proposto.

PLENO
Esse é o nível intermediário entre os cargos. O profissional pleno é uma pessoa com um domínio da função do que o júnior e já possui alguns anos de experiência na mesma função proposta.

SÊNIOR
É o maior nível entre os três. Este profissional já possui mais tempo de experiência no cargo do que o anterior e uma grande bagagem de conhecimento prático da função.

ESPECIALISTA
Esse nível é voltado para a pessoa que procura se qualificar ao máximo dentro de uma única função, entendendo o nível mais profundo de tal conhecimento. É possível uma pessoa ter uma senioridade e ser especialista ao mesmo tempo. Ex: sênior especialista.

PRINCIPAL
Entendida como master - depois do especialista, essa senioridade é considerada de alta importância. Mas, também pode ser utilizada para casos em que não há a divisão de senioridade e uma única pessoa exerce aquela função.

Esse artigo foi útil?
Usuários que acharam isso útil: 6 de 6

Comentários

0 comentário

Por favor, entre para comentar.